Entenda como algumas restrições podem melhorar os sintomas.

Olá queridos leitores, feliz ano novo! Esse mês vamos falar sobre como a nutrição pode melhorar a qualidade de vida de crianças com transtorno do espectro autista. Essa condição muito comum costuma mostrar sinais já nos três primeiros anos de vida e tem como característica um comprometimento nas habilidades de comunicação e interação social da criança. Muitos autistas possuem QI acima da média, sendo muito inteligentes, mas pela dificuldade de interação acabam necessitando de mais cuidados, inclusive no âmbito alimentar.

Feito o diagnóstico do transtorno com os profissionais capacitados é a hora de orientarmos os pais em relação a todas as particularidades que um portador do transtorno pode apresentar, em maior ou menor grau, já que há uma grande variação do mesmo. Um exemplo que costuma ser comum é a prática de um hábito alimentar restrito, em alguns casos os pacientes mostram-se muito resistentes a introdução de qualquer novidade alimentar, mas é importante frisar da importância de continuar oferecendo uma alimentação variada, com o intuito de evitar deficiências de vitaminas e minerais, que só agravariam o caso.

Tem se mostrado muito eficiente no acompanhamento de pacientes com transtorno do aspecto autista retirar da alimentação produtos que contenham farinha de trigo, leite e soja. Quando retirados da dieta há melhora na atenção, concentração, e os pacientes ficam mais calmos. Isso porque muitos portadores do transtorno do espectro autista apresentam uma deficiência enzimática que dificulta a digestão completa dessas proteínas encontradas no leite, soja e trigo, isso resulta em uma formação de grande quantidade de peptídeos dentro do intestino, que agem no Sistema Nervoso Central de forma semelhante ao ópio intensificando os sintomas da síndrome, como a falta de concentração e o isolamento.

É importante a atenção também para os alimentos ricos em corantes, como salgadinhos, sucos em pó artificial, gelatina, e todos os alimentos industrializados ricos em açúcares, que também devem ser eliminados da dieta, pois estimulam a hiperatividade. Além de uma dieta específica, apoio da família, carinho e proteção são a melhor receita para uma vida feliz.

Luana Carolina S. Leite

NUTRICIONISTA GRADUADA PELA UFMS

E PÓS-GRADUANDA EM NUTRIÇÃO ESPORTIVA FUNCIONAL

FACEBOOK @luanaleitenutricionista

Sobre o Autor

Nutricionista, graduada pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, pós graduanda em Nutrição Esportiva Funcional. Atuo na área clínica propondo alternativas mais saudáveis pela alimentação natural. Amo o que faço. A minha paixão é fazer a diferença na vida das pessoas mudando a forma como elas enxergam a comida e os hábitos de vida. Acredito que a alimentação é reflexo de um conjunto de fatores e quando equilibrada proporciona bem estar e qualidade de vida, contribuindo com a verdadeira saúde! Sigo a nutrição comportamental, sem modismos, e busco contribuir com o desenvolvimento da alimentação familiar desmistificando temas e ajudando a solucionar dúvidas e angústias dos pais e mães. E que com o resgate de uma alimentação mais natural possam ser muito mais felizes e conscientes da alegria que é nutrir boas escolhas diariamente.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.